Sua lógica
Ao tentar prever o comportamento que um colega irá utilizar e ao tentar adivinhar a linha de raciocínio que esse colega irá adotar, muitos profissionais se equivocam justamente porque tentam utilizar a sua própria escala de valores, a sua própria lógica de raciocínio para tentar prever o comportamento do outro. Imagine que você é um profissional que tem por hábito discutir abertamente qualquer problema que apareça, ou seja, se você ou alguém está com um problema com outras pessoas você não pensa duas vezes e simplesmente parte para a conversa franca aberta e direta para querer resolver o problema.

*****
Seu pensamento
Então, quando você percebe que determinado colega tem um problema pode ser que você tente prever o comportamento dele, porém utilizando a sua escala de valores, o seu modelo de pensar e agir. Você começa a apostar que esse seu colega, se tiver um problema, irá procurá-lo e terá também iniciará uma conversa franca. De outro lado, se esse colega não inicia a conversa você pressupõe que não há problema, pois é assim que você age. Portanto, na hora de tentar prever a linha de raciocínio e de tentar entender o comportamento de outra pessoa tome cuidado para não querer utilizar a sua régua de valores, a sua maneira de pensar.

*****
Analisar
Se fizer isso você está desrespeitando a outra parte, ou seja, você não está olhando com o olhar do outro, mas sim querendo que a outa parte se comporte dentro da mesma escala de valores que você cultua e aí você pode ter uma grande decepção. Resumindo, na hora de adivinhar o comportamento do outro também é necessário você tentar entrar na vida dele e analisar tudo com a escala de valores que essa pessoa tem. Caso contrário, você está mais para erro do que para acerto no mundo corporativo. Pense nisso! Para a coluna Visão Empresarial

Luciano Salamacha