Liberdade
Quando a gente vai começar um projeto temos de entender que é muito mais prazeroso, que dá muito mais vontade de se elaborar projetos, de se criar ideias do que propriamente executar essas ideias. Alguns motivos nos levam a ter esse tipo de comportamento. Quando a gente pensa a respeito de um projeto usa-se liberdade para criar, para estabelecer o comportamento das outras partes e o que é mais importante, a gente tem total liberdade de violar as regras que determinam o nosso comportamento hoje. E isso gera uma sensação extremamente prazerosa na nossa mente.

*****
Criatividade
Esse prazer de pensar, esse prazer de antecipar o resultado que vai acontecer se o projeto efetivamente for colocado em prática e der certo é algo que não precisa de mais nada, a não ser de criatividade e boa vontade. É por isso que nós seres humanos conseguimos muitas vezes antecipar todo o bem estar de um projeto apenas na sua concepção sem necessariamente ter de colocá-lo em prática. Então vem uma questão extremamente importante. Na medida em que começamos a antecipar esse prazer da conquista começamos a perceber que pode ser exatamente esse o motivo para que não coloquemos na prática.

*****
Realidade
Quando tivermos de encarar a realidade pode ser que o projeto não dê certo, pode ser que aquelas variáveis que a gente ponderou não necessariamente acabem se comportando como queríamos, como desejávamos e aí, de um sonho bem elaborado, de um prazer antecipado caímos na realidade e caímos na decepção. Por isso, a recomendação de hoje é tomar cuidado de não se encantar demais com a dopamina, com a recompensa cerebral que temos quando elaboramos projetos porque isso muitas vezes nos leva a fugir da implantação prática daquilo que pensamos. Pense nisso! Para a coluna Visão Empresarial

Luciano Salamacha