O primeiro passo para qualquer processo de mudança de comportamento é efetivamente que o profissional reconheça que está praticando algo de maneira equivocada, está errando. Sem dúvida, quando o profissional não assume que está errado, de uma forma sincera, verdadeira, fatalmente ele vai percorrer um caminho longo em busca de desculpas, de justificativas que validem o seu comportamento em vez de se preocupar em desenvolver hábitos que auxiliem a mudar de maneira positiva esse seu comportamento.

*****
Análise
Uma maneira relativamente simples que um profissional pode utilizar para diminuir ou até mesmo eliminar a mania de ficar discutindo problemas por antecipação é utilizar a técnica do isolamento dos problemas. Por essa técnica, cada vez que um problema futuro começa a ganhar evidência na discussão, no debate, se propõe que todos na reunião aceitem que aquele problema de alguma maneira foi resolvido e não existe mais. Pede-se inclusive que as pessoas aceitem essa premissa sem exigir como é que essa solução aconteceria. O objetivo é fazer com que a análise continue até o final. Como exemplo imagine que uma determinada empresa está discutindo o que aconteceria caso uma matéria prima não venha a ser entregue dentro do prazo pactuado.

*****
Impacto
Assume-se então a premissa de que a matéria prima não é mais o problema e faz-se então o planejamento produtivo até o final. Depois se mensura qual é a dependência dessa matéria prima. Pode ser que lá no final se conclua que essa matéria prima que todo mundo hoje estava surtando, poderia ser adquirida caso falte, de uma maneira emergencial no mercado, ou até mesmo facilmente ser emprestada de um concorrente amigo. A dica é justamente saber identificar quando se trata de um problema de pequeno impacto evitando dar a esse problema um espaço maior no debate e principalmente maior evidência que o necessário, que o recomendado. Pense nisso! Para a coluna Visão Empresarial

Luciano Salamacha