Racionalidade
Um profissional que se demonstra indolente, ou seja, um profissional que já não consegue manifestar tanta sensibilidade pode ter uma série de problemas, mas também pode ser que a indolência sirva para que ele tome decisões mais racionais, decisões que não levem em consideração apenas o interesse de uma ou duas pessoas e ao contrário sempre preservem o aspecto coletivo na organização. Isso não é fácil quando nós profissionais estamos envolvidos emocionalmente. Fica aqui uma dica para o leitor.

*****
Continuidade
Cada vez que você estiver envolvido numa dessas situações tente simular a situação. Tente pensar que seu colega trabalhando numa empresa parecida com a sua, porém com pessoas que você não conhece, lhe pede um conselho. Tenha certeza de que o seu conselho sempre tentará colocar em primeiro lugar a preservação dos interesses da coletividade, pois esse é o papel do gestor, preservar a organização, para que essa empresa consiga pagar o salário do maior número de funcionários possível, que consiga manter os clientes, que consiga dar continuidade às suas atividades pelo maior tempo possível.

*****
Isenção
Por isso fica aqui a minha dica. Ser indolente, que é ser insensível, pode de um lado te causar muitos problemas, mas quando bem estimulado, quando bem utilizado, a indolência, essa insensibilidade à dor própria e alheia poderá te garantir uma espécie de limpeza de raciocínio, isenção de interesses na hora de tomar uma decisão que vá levar a empresa para um caminho de sucesso, para um caminho de continuidade de sobrevivência, consequentemente isso também afeta de maneira positiva o seu desempenho e a sua carreira. Pense nisso! Para a coluna Visão Empresarial.

Luciano Salamacha