Inveja
Um sentimento extremamente comum, tanto para as pessoas no seu dia-a-dia quanto no ambiente profissional, é a inveja que se dá quando alguém almeja, deseja algo que outra pessoa possui, seja um status, um reconhecimento ou então um objeto. Imagine assim: eu trabalho numa empresa e tenho um colega extremamente competitivo o que faz com que ele atinja resultados muito superiores à média e ainda seja uma pessoa avaliada pela alta gestão como alguém extremamente competente, focado, uma pessoa que tem muito para crescer. Outra pessoa, olhando para esse desempenho começa a achar que essa competitividade deveria ser diminuída porque ele está prejudicando todos os colegas.

*****
Consciência
Sem se esforçar muito ele tem conseguido resultados extremamente positivos, enquanto que a gente na equipe prefere que o ritmo seja menor, que todos apresentem um resultado mais ou menos igual. Assim ninguém se destaca e ao mesmo tempo ninguém se prejudica. Pois bem, se você é um profissional que vive essa situação por ser altamente competitivo e começa a perceber que os seus colegas não lhe dão a devida atenção, tome cuidado para não ficar olhando para o outro lado e acabar batendo a cara no poste. Quando a gente trabalha com um desempenho que considera correto temos de lembrar que estamos fazendo aquilo por conta da nossa consciência e da nossa essência e não porque queremos ser melhores que os outros.

*****
Contagiar
Quando a gente tem convicção disso fica mais fácil não dar atenção para a inveja, para os comentários equivocados e até mesmo para colegas que só se preocupam em te derrubar. De outro lado, tenha sempre noção que ser competitivo significa também envolver essas pessoas na competitividade. Contagiar as pessoas para que tenham o mesmo comportamento e não dizer que eles não têm a mesma condição. Resumindo, se você é competitivo tente contagiar quem é do bem e não dê atenção para quem é do mal na sua empresa. Para a coluna Visão Empresarial